Productivity

Productivity-164px.png

Estes cinco aspectos, junto com a escolha do material, definem a produtividade em suas máquinas:

  • Muitos dados de corte
  • Vida útil da ferramenta prolongada
  • Consumo de energia
  • Quebra de cavacos
  • Acabamento da superfície

O potencial de produtividade total para um processo de usinagem trata da interação entre material, ferramentas de corte e máquina. O material certo pode permitir mais dados de corte, ao mesmo tempo em que prolonga a vida útil da ferramenta.

Caso de produtividade: Sandvik SAF 2507

Muitos dados de corte e vida útil da ferramenta

Muitos dados de corte e vida útil da ferramenta geralmente anulam um ao outro. Ou seja, se você aumentar os dados de corte, perderá vida útil. Isso pode ser verdade para alguns materiais, mas não se aplica ao Sanmac. É possível aumentar a produtividade usando mais dados de corte, ao mesmo tempo em que prolonga consideravelmente a vida útil da ferramenta.

O motivo disso está relacionado à microestrutura do material. Na Sandvik, usamos inclusões não metálicas para manipular a microestrutura. Quando a peça de trabalho é aquecida na zona de corte, ela cederá a uma carga mecânica menor. Isso também gera menos calor na matriz de inserção. O calor é um dos principais fatores que afetam a vida útil da ferramenta de uma matriz de inserção. Se puder ser mantido em um nível baixo, há espaço para aumentar a velocidade de corte, gerando maior produtividade. As inclusões não metálicas também geram menos desgaste mecânico na matriz de inserção, oferecendo vida útil mais longa à ferramenta.

Consumo de energia

O consumo de energia e a quebra de cavacos também estão intimamente relacionados à microestrutura. Em nosso processo de trabalho a quente, garantimos que o material tenha uma microestrutura nivelada e otimizada ao longo do comprimento da barra. Isso oferece usinagem bem previsível, com o menor custo de energia possível. Uma microestrutura irregular afetaria diretamente a vida útil da ferramenta e concederia qualidade de componente desigual.

Quebra de cavacos

A quebra de cavacos sempre é um desafio em aços inoxidáveis e, principalmente, aços inoxidáveis dúplex. Isso deve-se à alta resistência do material. Aqui, o nosso conhecimento sobre materiais é ainda mais importante. Muitas interrupções na máquina estão relacionadas à quebra de cavacos. Cavacos presos na ferramenta, na peça de trabalho ou na transportadora. Interrupções como essas normalmente são perigosas para o operador e levam tempo para resolver. Tempo que poderia ser gasto na execução da próxima peça ou até mesmo realizando manutenção em uma segunda máquina? Ter a quebra de cavacos sob controle representa redução de interrupções indesejadas e mais saída do processo de usinagem.

Leia mais sobre a quebra de cavacos em aços inoxidáveis austeníticos e dúplex

Acabamento da superfície

Na maioria dos processos de usinagem há um corte de acabamento, cujo propósito é produzir um acabamento de alta integridade na peça em termos de tolerância ou simplesmente percepção. Em ambos os casos isso significa que não é permitida nenhuma imperfeição que deixe uma mancha ou marca na superfície. Nossas barras são testadas de maneira ultrassônica, para garantir que nenhuma imperfeição na barra jamais chegará aos nossos clientes.

O potencial de produtividade total para um processo de usinagem trata da interação entre material, ferramentas de corte e máquina. A escolha das ferramentas de corte e da máquina é vital, mas ao selecionar o material correto para a peça de trabalho, elas podem ser muito influenciadas. Ao comprar material de um fabricante confiável que sempre oferece consistência, material que é fácil de cortar e com quebra de cavacos aceitável, você terá os pré-requisitos para obter o máximo de sua máquina e suas ferramentas de corte. Essa é a base do seu sistema de produção, permitindo que você leve sua produtividade geral e a redução de custo por componente para o próximo nível.

Leia sobre a consistência do material